Menu

segunda-feira, 29 de abril de 2019

Cuidado ao remover todos os kernels antigos do Debian e de derivadas

Recentemente tenho notado um fenômeno interessante, a ausência de versão antiga de kernel instalado, isso tem deixado vários iniciantes sem saída fácil quando o kernel em uso da problema, confira essa matéria.






Remoção de kernels antigos


Entendam uma coisa, diferentemente do Windows o GNU/Linux não fica pesado devido a programas instalados e não carregados na inicialização.

Os kernels antigos não interferem em absolutamente nada no desempenho do seu sistema operacional, isso pelo simples fato de eles não estarem sendo carregados quando você inicia o sistema por um kernel mais atual.

A unica coisa que um kernel antigo faz de "prejudicial" é ocupar espaço em seu disco rígido, mas convenhamos uns 400 MB nos discos atuais é insignificante.

Problema decorrente


O principal problema que você ira ter ao remover todos os kernels antigos, é o de não ter uma opção fácil e rápida de conseguir iniciar o seu sistema em um problema grave no único kernel em uso.
O seu único kernel pode quebrar em um update e você fica impossibilitado de usar o seu computador, sabe o motivo ? Você não tem uma versão antiga do kernel instalada e funcional.
O kernel quebrado sem se ter um antigo instalado só pode ser recuperado usando um live cd e fazendo um chroot, mas geralmente a grande maioria vai pro vicio do Windows, formatar.


Evitando o problema sendo precavido


Para evitar esse problema você tem duas alternativas.

1ª - Não entre nessa modinha criada por sites e blogs "especializados" em porra nenhuma, de ficar instalando versões atuais de kernel na ilusão de melhoras milagrosas no desempenho do computador, isso é lenda criada para gerar pageview e mais nada.

2ª - Caso prefira se iludir com a modinha do kernel top, deixe dois kernels instalados, o que vai usar e o anterior a ele.

Nesse caso você deve verificar os kernels instalados, de o comando abaixo no terminal.

apt search linux-image | grep installed

Nesse exemplo temos dois kernels o 5 e o 4.19 e portanto não se tem nada para ser removido.







Note que nesse momento estou usando o kernel 5.




Reinicie a maquina e entrei pelo kernel antigo e tudo funciona normalmente, no caso de o 5 ter dado problema serio, eu tenho essa opção para iniciar o sistema e de forma confortável arrumar o kernel com problema.




Carregando o sistema com um kernel antigo

Para ter a lista de kernels disponíveis em seu sistema operacional, na tela do grub selecione "Opções avançadas".

OBS: No caso do Ubuntu e suas remasterizações ao ligar o computador você deve ir teclando Esc para o grub aparecer, isso é devido a falta do que fazer, a canonical decidiu esconder essa tela.







Na próxima tela basta você escolher o kernel antigo que você de forma inteligente deixou de reserva, sempre o de versão anterior ao em uso que deu pau.




Identificando kernels que possam ser removidos


Em primeiro lugar não use comandos de remoção automática, isso para o iniciante não é nada bom e sempre leva a problemas dificeis de serem identificados e os tonando sem solução.

Para listar os kernels instalados de o comando no terminal.

apt search linux-image | grep installed

E para identificar o kernel em uso.

uname -a

Note que nesse exemplo é o kernel 5 e tenho outras duas versões, 4.9 e 4.19.

Nesse caso eu só posso remover o kernel 4.9, deixando o 4.19 de reserva para o em uso 5.0.




Nesse exemplo podemos remover o kernel 4.8, basta você usar o sudo apt remove, veja.

sudo apt remove --purge linux-image-4.9.0-8-amd64 linux-headers-4.9.0-8-amd64

Note que além dos dois pacotes é mostrado mais alguns que não são mais necessários e o comando para os remover apos remover o kernel desnecessário.







Agora remova os pacotes desnecessários.

sudo apt autoremove

Pronto kernel obsoleto removido, deixado uma versão antiga por segurança.



Eu estou te ajudando? Faça uma doação!!













Nenhum comentário:

Postar um comentário