quinta-feira, 11 de maio de 2017

Remasterizações GNU/Linux

Falar sobre remasterizações sempre gera guerra entre veteranos e novatos, isso é inevitável.
Eu poderia falar muito como já o fiz, mas nessa matéria prefiro homenagear um dos nossos guerreiros o Glenn Hummes e deixar ele falar. 





Glenn Hummes foi um defensor implacável das verdadeiras distribuições GNU/Linux, hoje falecido, mas deixou o seu legado, uma palavra que resume de forma clara a real sobre as remasterizações, leiam do criador da palavra ReFiSeFuQui o que é uma remasterização (distro).

ReFiSeFuQui: O que é isso??






Olá, pessoas!!!

[...] Mas o que cargas-d’água isso significa?

Simples… essa é a abreviação para a colossal massa de tempo, esforço e dinheiro desperdiçado em prol do ego próprio, mas sem, obviamente, esforço em ajudar a comunidade de código aberto/software livre: as famosas “Remasters de Fins de Semana e Fundos de Quintal”!!!

Essas m-a-r-a-v-i-l-h-o-s-a-s coisas são provas de que, se não está contente, pode mudar o papel de parede e lançar algo novo sem ter medo de ser esculachado, e ainda será agraciado com uma palestra num FISL futuramente…

E os argumentos para apoiá-las são sempre os mesmos: “Tive dificuldade com o Várzea Linux, então, criei o Aspira Linux para ser mais fácil e mais rápido…”, ou então “Quero ajudar a comunidade de CA/SL a disseminar o nome do Linux…”, ou pior… “Essa distro é brasileira, criada para nosso usuários, nosso Brasil, tão carente de distribuições em nossa língua…”

Obviamente, isso virou uma religião para alguns usuários Linux. E se tornou algo tão xiita que você poderá ser apedrejado em fóruns de fanáticos por essas ReFiSeFuQui’s, com argumentos como: “Você não sabe o que é CA/SL…”, ou “Está com inveja porquê não sabe fazer a mesma coisa…”, ou o pior de todos os argumentos… “Você é contra o Linux…”

ReFiSeFuQui’s nada mais são que só isso mesmo: REMASTERS feitas no tempo livre EM FINS DE SEMANA nos FUNDOS DE QUINTAIS, sem a menor preocupação de criar algo novo e que demonstre em poucas palavras uma evolução real e concreta do que foi feito até hoje, ao contrário, demonstram o total despreparo de algumas pessoas, o grande e inchado ego dos chamados “times de desenvolvimento” e a total falta de respeito com uma comunidade de programadores e distribuições sérias.

Geralmente, quando você pega uma ReFiSeFuQui Linux, distribuidas e criadas via blogs, fóruns e sites, e a testa, dá a impressão de ter alguma novidade, pois sempre colocam em suas páginas web argumentos como: desktop 3D, atualização, segurança, otimização, painel de controle, etc., etc. e etc. . Em meia hora de uso da ReFiSeFuQui Linux, você já sente um certo enjôo, pois vê que de onde ela foi baseada, pouca coisa ou nada mudou. O refisefuqueiro mudou nada mais que papéis de parede e temas de ícones.

Isso sem falar que, no interior, a ReFiSeFuQui Linux ainda baseia suas atualizações e todo o serviço de estabilização, correção de segurança e implementação de novos serviços nos servidores da distribuição em que se baseiam, ou seja: vivem na carótida de distribuições que gastam seu tempo e dinheiro tentando melhorar seus sistemas, e os sanguessugas grudam neles, sem ao menos oferecer algo em respeito á distribuição-mãe, isso quando não omitem TUDO que a distribuição-mãe oferece.

Essa (ou essas) ReFiSeFuQui Linux não mudam absolutamente nada no sistema. Aplicam patches, atualizam programas e não dão créditos sobre os criadores verdadeiros. Não escrevem uma só linha de código para corrigir bugs no kernel Linux ou aplicações. E o pior de tudo: desrespeitam a GPL em muitas cláusulas, onde o responsável (ou responsáveis) pela ReFiSeFuQui Linux não oferecem nem o código-fonte da remaster, jogando a responsabilidade totalmente nas costas das distribuições, tentando tapar o sol com uma peneira, dizendo sempre que, nesta hora, é uma “distro baseada em outra distro”, usando o argumento do João Sem Braço e muitas vezes argumentando sem ler ou mesmo ignorando esse ponto da GPL.

Essas ReFiSeFuQui’s Linux mostram o pior do pior dentro da comunidade CA/SL. Pessoas egocêntricas, preocupadas mais em manter seu nome acima daquilo que oferece, e oferecendo algo que não corresponde muitas vezes à realidade. Esse tipo de coisa é que afasta o usuário leigo, pois vê milhares de opções desconexas, com poucas diferenças entre si, e acaba por não entender o que é realmente Linux ou distribuição.

Como disse no início, são desperdiçados esforços em comum. Muitas vezes as ReFiSeFuQui se baseiam em um script ou algum diferencial somente. Se todas se juntassem, juntassem seus esforços e suas pequenas criações, teríamos algo único e gigantesco, que facilitaria para um leigo. Mas o êxtase em ter seu nome como “criador, mantenedor e Deus da ReFiSeFuQui” é o que manda.

O refisefuqueiro jamais aceitará ser um subalterno no time. O refisefuqueiro quer ser o seu próprio ReFiSeFuQuer, quer refusificar à todos, quer que os seus lacaios refisefuquem mais ainda em seu nome e em nome de uma coisa que nada representa o espírito verdadeiro do CA/SL, ao contrário o deturpam: unir-se em uma comunidade para levantar o nome do Linux, e o bem comum deveria ser somente isso.

P.S.: Aspira Linux é a prometida e esperada remaster do Várzea Linux, que o Nerdson ainda está tentando terminar (ou foi descontinuada, sei lá), participante do programa “One Distro Per Child”, onde todas as ReFiSeFuQui’s Linux estão incluidas também…

Glenn Hummes



Donate - Contribua para a melhoria do nosso trabalho!!




2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1º - A liberdade do SL nada tem com MENTIRA muito pelo contrario e te recomendo ler atentamente os códigos de conduta da SL.

      2º - A sua liberdade individual não tem peso algum na SL, é irrelevante.

      3º - Não existe problema em se fazer REMASTERIZAÇÃO desde que você não minta dizendo que fez uma DISTRIBUIÇÃO, fale para as pessoas que vc fez uma REMASTERIZAÇÃO.


      Ficam as dicas pra vc.

      Distribuição de pacotes, compilam, empacotam, fazem a documentação, dão suporte, fazem upload para servidores, atualizam, são formadas por grandes comunidades de programadores ou programadores funcionários de empresas, isso para uma média de 45000 pacotes, não é uns poucos e uma .iso.

      A sua pergunta.

      "Linux mint, elementary,antergos,deepin, sao todos sanque-suas?"

      Sim são sangue sugas, com atenuante ao Mint que é a unica remasterização que contribui com o Debian, o lixo do Elementary tentou, mas depois de 11 meses tentando colocar um misero pacote de ícones, desistiu por não serem capazes de resolver um erro básico no pacote e foram removidos do Debian experimental por não atenderem a nenhuma das exigências básicas da DISTRIBUIÇÃO Debian.

      Fedora é a base do Red Hat, assim como Debian é a base do Ubuntu.

      E para finalizar, seu problema com o Debian, não vai ser resolvido com "livros de linux" mas lendo a documentação Debian (wiki Debian) uma outra coisa que as REMASTERIZAÇÕES ( refisefuqui ) não tem, talvez por isso você desconheça essa valiosa fonte de conhecimento, além é claro desse blog que é inteiramente dedicado ao iniciante GNU/Linux, mas especificamente na grande maioria das matérias o user Debian e Ubuntu.

      Outras documentações para estudo que recomendo são as do Arch ( uma obra de arte ), Manjaro ( engatinhando mas muito bela ), openSUSE ( Rica em detalhes )

      Pronto, agora vc pode ser LIVRE no SL adquirindo conhecimento ou se juntando a uma comunidade de pessoas que já o tenha e disposta a passarem pra vc, recomendo nossas redes sociais, onde vc vai encontrar usuários avançados dispostos a ajudar o iniciante GNU/Linux, com firmeza sim, mas com todo o respeito que nossas regras de conduta exigem.



      Excluir