terça-feira, 2 de maio de 2017

Debian e seus sabores

Debian é a distribuição mais versátil do mundo livre e aberto, a mais completa e totalmente desenvolvida no espirito comunitário, além de ser a unica distribuição que faz porte para vários núcleos e não só o Linux, por esse motivo é universal.




Debian


O Debian satisfaz plenamente o profissional, o iniciante, o conservador, o corporativo e o entusiasta radical.

É a unica distribuição que não se limita ao mundo Linux, ele possui vários portes para outros núcleos e devido a isso é considerado um sistema operacional universal.




Entendendo que uma distribuição é o seu repositório, vamos falar um pouco do Debian e suas versões.

Experimental - Repositório onde tudo tem inicio, contem os programas novos e as novas versões dos programas que já fazem parte do Debian.

Unstable - Recebe os programas do experimental quando esses atingem um nível considerado aceitável, mas podem retornar ao experimental se não conseguirem se manter ou evoluir.

Testing - Recebe os programas do unstable quando esses atingem um nível considerado aceitável, mas podem retornar ao experimental se não conseguirem se manter evoluir e alcançar estabilidade.

Stable - É formado pelos programas do testing que se mantem estáveis até o congelamento para correção dos bugs finais e posterior lançamento oficial do Debian stable.


Dos 4 estágios do Debian só o experimental é incompleto, os demais podem ser usados individualmente ou de forma unificada.

Mas qual é o sabor Debian melhor pra mim ?

Essa pergunta é você quem deve responder e mais ninguém, o que eu posso fazer é dar uma dicas para te ajudar na escolha.

Sabores Debian



Debian Stable é destinado para quem busca estabilidade, uso em produção sem surpresas que posam atrapalhar seus trabalhos, para quem deseja apenas instalar o sistema operacional e usar.

Debian Testing é destinado aos entusiastas e que buscam um bom nível de estabilidade para produção, mas pode exigir um pouco mais de conhecimento e pode não ser só instalar o sistema operacional e usar, pode exigir alguns ajustes.

Debian Unstable é destinado a entusiastas e programadores, afinal é nele que de fato as coisas acontecem para você se manter atualizado e consequentemente os seus softwares que você desenvolve. Ele também leva o nome de SID o menino malvado do Toy story, portanto todo respeito com ele é bom :)


A união dos 4 sabores da a luz a uma nova versão híbrida.

Debian Híbrido é destinado aos usuários que se identificam com o Debian Unstable e querem ter a sua disposição versões diferentes dos programas para testes e aprimoramento de conhecimento.

Agora já da para você responder a sua pergunta e fazer a sua escolha, basta ser sincero na sua escolha, de forma alguma tente se enganar.

Sources.list


A sources.list é o arquivo que contém os endereços dos servidores que contem os programas da sua distribuição, ele é quem dá o nome a sua distribuição.

O Debian devido as suas politicas que visam a liberdade, vem por padrão com apenas programas livres em sua lista de pacotes padrão, o repositório main.

Main - É o padrão do sistema e só contem pacotes livres, como pede a politica Debian ( O fato de Debian não ser considerada uma distribuição livre pela GNU, é por disponibilizar os pacotes não livres em seus repositórios, mesmo eles estando isolados do main ).

Para a grande maioria dos casos manter apenas o main é o suficiente, ele atende perfeitamente aos usuários do Debian.

Sources.list livre, para os sabores Debian


Sources.list Stable


deb http://ftp.br.debian.org/debian stable main 
deb-src http://ftp.br.debian.org/debian stable main 

deb http://ftp.br.debian.org/debian stable-updates main 
deb-src http://ftp.br.debian.org/debian stable-updates main 

deb http://security.debian.org/ stable/updates main 
deb-src http://security.debian.org/ stable/updates main



Sources.list Testing


deb http://ftp.br.debian.org/debian testing main 
deb-src http://ftp.br.debian.org/debian testing main 



Sources.list Unstable


deb http://ftp.br.debian.org/debian unstable main 
deb-src http://ftp.br.debian.org/debian unstable main 



Sources.list Experimental


deb http://ftp.br.debian.org/debian experimenta main 
deb-src http://ftp.br.debian.org/debian experimental main 


Não livres



Os repositórios que contém os pacotes não livres são os seguintes.


Contrib - Contem programas que possuem dependências não livres.


Non-free - Contem programas não livres.

Eles contém:

Programas

Plugins

Libs

Firmware ( drivers ) 


Você pode habilitar caso tenha necessidade, para isso basta adicionar eles ao final de cada linha da sua sources.list, como no exemplo da sources.list do Debian Stable.


deb http://ftp.br.debian.org/debian jessie main contrib non-free
deb-src http://ftp.br.debian.org/debian jessie main contrib non-free

deb http://ftp.br.debian.org/debian jessie-updates main contrib non-free
deb-src http://ftp.br.debian.org/debian jessie-updates main contrib non-free

deb http://security.debian.org/ jessie/updates main contrib non-free
deb-src http://security.debian.org/ jessie/updates main contrib non-free



Sources.list não livre, para os sabores Debian



Sources.list Stable


deb http://ftp.br.debian.org/debian stable main contrib non-free 
deb-src http://ftp.br.debian.org/debian stable main contrib non-free 

deb http://ftp.br.debian.org/debian stable-updates main contrib non-free 
deb-src http://ftp.br.debian.org/debian stable-updates main contrib non-free 

deb http://security.debian.org/ stable/updates main contrib non-free 
deb-src http://security.debian.org/ stable/updates main contrib non-free



Sources.list Testing


deb http://ftp.br.debian.org/debian testing main contrib non-free 
deb-src http://ftp.br.debian.org/debian testing main contrib non-free 



Sources.list Unstable


deb http://ftp.br.debian.org/debian unstable main contrib non-free 
deb-src http://ftp.br.debian.org/debian unstable main contrib non-free 



Sources.list Experimental


deb http://ftp.br.debian.org/debian experimenta main contrib non-free 
deb-src http://ftp.br.debian.org/debian experimental main contrib non-free 


Como já disse, o Experimental não da para ser usado separadamente, ele pode ser usado para complementar outro sabor.

Para usar mais de um sabor ao mesmo tempo eu recomendo que tornem o apt híbrido, para isso leiam a matria do link abaixo.

Aprenda usar o Debian testing hibrido.


OBS: Só torne híbrido o Debian testing e unstable, de forma alguma faça isso no Debian stable, além de comprometer o sistema, vai matar a sua finalidade principal, a estabilidade.


O recheio


O recheio aqui vamos dizer que seja o núcleo do sistema operacional o kernel.

O Debian é chamado de universal por ter vários núcleos ( kernel ), diferente das demais distribuições que se prendem exclusivamente ao Linux.

Irei utilizar a própria wiki do Debian para falar dos portes Debian.

Introdução


Como a maioria de vocês sabe, o Linux é só um núcleo (kernel). E, durante muito tempo, o kernel Linux só funcionou nas máquinas da série x86 da Intel, desde o 386 (há trabalho sendo feito para portar o Linux para o 286, e máquinas anteriores. Veja o projeto ELKS para mais informações).

No entanto, isto deixou de ser verdade de qualquer maneira. O kernel Linux tem sido portado para uma grande e crescente lista de arquiteturas. Seguindo de perto, nós temos portado a distribuição Debian para essas arquiteturas. Em geral, este é um processo com um início lento (enquanto colocamos a libc e o ligador dinâmico para funcionar tranquilamente), e então passamos para um trabalho relativamente rotineiro, e longo, de tentar recompilar todos os nossos pacotes nas novas arquiteturas.

Debian é um sistema operacional (SO), não um kernel (na verdade, é mais do que um SO pois ele inclui milhares de aplicações). Para provar isto, nós temos nossos três primeiros portes baseados em núcleos não-Linux, listados no rodapé desta página.

Aviso: — esta é uma página em progresso. Nem todos os portes possuem páginas e a maioria está em sites externos. Estamos trabalhando para coletar informações sobre todos os portes para serem espelhadas juntamente com o site web do Debian.

Portes lançados

Os portes a seguir foram incluídos em pelo menos uma versão estável do Debian.

Intel x86 / IA-32 (i386)
A primeira arquitetura, e não estritamente um porte. O Linux foi originalmente desenvolvido para processadores Intel 386, por isso o nome curto. O Debian dá suporte a todos os processadores IA-32, feitos pela Intel (incluindo toda a série Pentium e as recentes máquinas Core Duo em modo 32-bit), AMD (K6 e todas as séries Athlon e séries Athlon64 em modo 32-bit), Cyrix e outros fabricantes.
Devido aos ajustes do site web do Debian da visão tradicional do Linux centrada em i386 para uma mais balanceada, quaisquer informações específicas sobre i386 serão movidas para cá.

Motorola 68k (m68k)
Lançada oficialmente pela primeira vez com o Debian 2.0. O porte Debian m68k funciona em uma grande variedade de computadores baseados na série de processadores Motorolo m68k — em particular, as estações de trabalho Sun3, os computadores pessoais Apple Macintosh, e os computadores pessoais Atari e Amiga.

Sun SPARC (sparc)
Lançada oficialmente pela primeira vez com o Debian 2.1. Este porte funciona na série de estações de trabalho Sun SPARCstation, bem como alguns de seus sucessores na arquiteturas sun4.

Alpha (alpha)
Lançada oficialmente pela primeira vez com o Debian 2.1. Um dos portes mais antigos, e bastante estável.

Motorola/IBM PowerPC (powerpc)
Lançada oficialmente pela primeira vez com o Debian 2.2. Este porte funciona em vários modelos Apple Macintosh PowerMac e em máquina de arquitetura aberta CHRP e PReP.

ARM (arm e armel)
Lançada oficialmente pela primeira vez com o Debian 2.2. Este porte funciona em vários hardwares embarcados, incluindo o NSLU2. Armel é o sucessor mais eficiente para o porte arm, que é compatível com a ARM EABI.

CPUs MIPS (mips e mipsel)
Lançada oficialmente pela primeira vez com o Debian 3.0. O Debian está sendo portado para a arquitetura MIPS que é usada em máquinas SGI (debian-mips — big-endian) e Digital DECstations (debian-mipsel — little-endian).

HP PA-RISC (hppa)
Lançada oficialmente pela primeira vez com o Debian 3.0. Este é um porte da arquitetura PA-RISC da Hewlett-Packard e está em um estágio avançado.

IA-64 (ia64)
Lançada oficialmente pela primeira vez com o Debian 3.0. Este é um porte da primeira arquitetura 64-bit da Intel. Nota: este não deveria ser confundido com as últimas extensões 64-bit da Intel para os processadores Pentium 4 e Celeron, chamadas Intel 64; para estes veja o porte AMD64.

S/390 (s390)
Lançada oficialmente pela primeira vez com o Debian 3.0. Este é um porte para os servidores IBM S/390.

AMD64 (amd64)
Lançada oficialmente pela primeira vez com o Debian 4.0. Porte para os processadores AMD64 64-bit. O objetivo é dar suporte para programas do espaço de usuário em 32-bit e 64-bit nesta arquitetura. Este porte dá suporte para os processadores Opteron, Athlon e Sempron 64-bit da AMD e processadores da Intel com suporte a Intel 64, incluindo o Pentium D e várias séries Xeon e Core2.

Portes que ainda não foram lançados


Os portes a seguir nunca fizeram parte de uma versão estável do Debian mas, eventualmente, eles aparecerão em uma.

SuperH (sh)
Um porte bem novo para processadores Hitachi SuperH.

armeb
Porte para máquinas ARM big-endian, especialmente para o Linksys NSLU2.

m32r
Porte para microprocessador RISC 32-bit da Renesas Technology.

Portes não-Linux


Debian GNU/Hurd (hurd-i386)
O GNU/Hurd é um sistema operacional totalmente novo que é desenvolvido pelo grupo GNU. Na verdade, o GNU Hurd é o componente final que torna possível construir um SO GNU por inteiro — e o Debian GNU/Hurd será um (possivelmente o primeiro) SO GNU. O projeto atual é baseado na arquitetura i386, mas espera-se que dar suporte a outras em breve.

Debian GNU/NetBSD (netbsd-i386 e netbsd-alpha)
Este é um porte do sistema operacional Debian, completo com apt, dpkg e espaço de usuário GNU, para o kernel NetBSD. Ele está atualmente em um estágio muito preliminar, mas como o NetBSD é um kernel que está em qualidade de produção, a usabilidade do Debian GNU/NetBSD deverá crescer rapidamente. Atualmente o Debian GNU/NetBSD para Intel x86 é o sabor mais avançado, mas há trabalho começado para dar suporte a computadores baseados em Alpha.

Debian GNU/kFreeBSD (kfreebsd-gnu)
Este é um porte do sistema Debian GNU para o núcleo do FreeBSD. Ele ainda é um porte imaturo, no entanto é sabido que alguns desenvolvedores estão usando-o como ambiente de produção para trabalho diário.

Vários projetos similares aos portes

Embora estes esforços não sejam exatamente portes, este parecia ser um bom local para colocá-los.

Debian Beowulf
Beowulf é um substituto para alguns dos maiores mega computadores usados nos campos de ciência e matemática. Este projeto tenciona usar clusters Beowulf em máquinas Debian e interconectar as pessoas envolvidas no verdadeiro estilo bazar.

Porte ARM EABI
EABI é a nova ABI Embarcada da ARM Ltd.. EABI é, na verdade, uma família de ABIs e uma das sub-ABIs é a GNU EABI para Linux.

Aviso legal: Vários dos nomes dos computadores e processadores usados acima são marcas registradas de seus fabricantes. Elas foram usadas sem permissão.


Cobertura


A cobertura vamos dizer que seja o ambiente gráfico, nesse caso também temos muitas opções.

A comunidade Debian disponibiliza o sistema já com os seguintes ambientes gráfico, na forma de CD ou Live DVD, que podem ser encontrados nesse link.


Cinnamon

Gnome

KDE

LXDE

Mate

XFCE


Mas você tem outros tantos disponíveis em seu repositório, dentre eles temos.



Budgie


Enlightenment

LXQT

Sugar


Open box

Temos também os minimalistas como.


EvilWM

ION3

Ratpoison

DWM

LarsWM


WMii



Tem como não amar essa fantástica e deliciosa distribuição de pacotes ? Tem não :)




Mas vamos um pouquinho mais além.

Ainda temos a nossa disposição para uso ou para contribuição ( Isso mesmo, você que faz remasterizações pode faze-lo de forma bem mais transparente a comunidade e contribuir de fato com o Debian ).


Debian Pure Blends



O Debian Pure Blends são uma solução para grupos de pessoas com necessidades específicas. Não só eles fornecem coleções praticas (meta-pacotes) de pacotes específicos, mas também facilitam a instalação e a configuração para a finalidade pretendida. Eles abrangem os interesses de diferentes grupos de pessoas, que podem ser crianças, cientistas, jogadores, advogados, pessoal médico, deficientes visuais, etc. Seu objetivo comum é simplificar a instalação e administração de computadores para seu público-alvo e conectar Com as pessoas escrevendo ou empacotando o software que usam.




Released Pure Blends

"Released" pode ter significados diferentes para misturas diferentes. Na maioria dos casos, isso significa que a mistura tem metapacotes ou um instalador que foi lançado em uma versão estável do Debian. As misturas também podem fornecer mídia de instalação ou formar a base de uma distribuição derivativa. Consulte as páginas de mesclagem individuais para obter mais informações sobre essa mistura específica.






Upcoming Pure Blends


Essas misturas são obras em andamento e ainda não fizeram uma versão estável, embora possam estar disponíveis na distribuição de teste ou instável. Algumas misturas puras próximas podem ainda conter componentes não-livres.




Mais detalhes sobre o Debian Pure Blends.

Donate - Contribua para a melhoria do nosso trabalho!!


















2 comentários: