sexta-feira, 14 de abril de 2017

Pacman o gerenciador de pacotes do Arch Linux

O Pacman é um dos melhores gerenciadores de pacotes para GNU/Linux, ele tem o mesmo papel do apt no Debian e derivados.
Se está buscando conhecimento básico nele, leia essa matéria.






O gerenciador de pacote pacman é uma das grandes vantagens do Arch Linux. Combina um simples pacote no formato binário, com um fácil uso de sistema de compilação. A meta do pacman é tornar o mais fácil possível gerenciar pacotes, sejam eles dos oficiais repositórios Arch ou das próprias compilações do usuário.
Pacman mantém o sistema atualizado, listas de pacotes de sincronização com o servidor mestre. Este modelo servidor/cliente também permite o usuário baixar/instalar pacotes com um simples comando, completo com todas as dependências requeridas.

Fonte dessa matéria.



O que um gerenciador de pacotes faz? gerencia pacotes é claro, mas de onde são esses pacotes ? São de um repositório.

Para conhecer o repositório do Arch Linux, de o comando abaixo no terminal.

su

mirrorlist 


Nesse arquivo temos uma lista de espelhos ( servidores contendo os pacotes do Arch Linux para download )

nano /etc/pacman.d/mirrorlist



pacman.conf


Esse arquivo é responsável pelas configurações do pacman, de como ele se comporta em relação ao mirorlist e os pacotes instalados, a serem instalados, serem atualizados e removidos.

nano /etc/pacman.conf

No final do pacman.conf temos as configurações dos espalhos que ele usa.



Entendendo cada repositório.

Testing


O repositório [testing] pode ser encontrado em testing/os/i686 ou testing/os/x86_64 no teu mirror favorito. [testing] é especial. Este contém pacotes que são candidatos ao [core], [extra] ou ao [unstable]. Pacotes novos vão para o [testing] se:
podem danificar alguma coisa após o update e precisam de ser testados primeiro.
exigem outros pacotes para ser reconstruídos. Neste caso, todos os pacotes que precisam de ser reconstruídos são colocados no [testing] primeiro e quando todos estiverem concluídos, são movidos para o repositório respectivo.

[testing] é o único repositório que pode ter colisões nos nomes com outros repositórios oficiais. Se ativo, tem de ser o primeiro listado no ficheiro /etc/pacman.conf.

Cuidado ao activar o repositório [testing]. O teu sistema pode ficar danificado após updates com pacotes provenientes do [testing]. O seu uso deve estar limitado a utilizadores que sabem o que estão a fazer.

#[testing]
#Include = /etc/pacman.d/mirrorlist

Core

O repositório [core] pode ser encontrado no core/os/i686 ou core/os/x86_64 no teu mirror favorito. Contém os pacotes principais de Arch e algum software adicional e irá fornecer um sistema básico totalmente funcional.

O CD de Instalação não é mais do que um script de instalação e uma cópia do repositório [core]
[core]
Include = /etc/pacman.d/mirrorlist


Extra




O repositório [extra] pode ser encontrado em extra/os/i686 ou extra/os/x86_64 no teu mirror favorito. Contém todos os pacotes oficiais de Arch que não foram para o [core]. Por exemplo: X.org, gerenciadores de janela, servidores web, reprodutores de media, línguas como Python, Ruby e Perl, e bastante mais.

[extra]
Include = /etc/pacman.d/mirrorlist

Community


O repositório [community] pode ser encontrado em community/os/i686 ou community/os/x86_64 no teu mirror favorito. Este é mantido pelos Utilizadores de Confiança (UC) e faz parte do Arch User Repository (AUR). Contém os pacotes do AUR com votos suficientes ou que tenham sido adotados por um UC.
O community-testing se aplica o mesmo que foi dito sobre o testing.

#[community-testing]
#Include = /etc/pacman.d/mirrorlist

[community]
Include = /etc/pacman.d/mirrorlist


Multilib


Este repositório pode ser encontrado em ... / multilib / os / em seu espelho favorito. Multilib contém software e bibliotecas de 32 bits que podem ser usados para executar e criar aplicativos de 32 bits em instalações de 64 bits (por exemplo, wine, steam, etc.).
#[multilib-testing]
#Include = /etc/pacman.d/mirrorlist

#[multilib]
#Include = /etc/pacman.d/mirrorlist


Para utilizar ou não um determinado repositório, você deve usar ou não o # no inicio da linha, como abaixo.

Com o #

# Não usar o repositório

Sem o #

    Usar o repositório


Eu particularmente prefiro usar os repositórios como está abaixo, obtenho maior estabilidade dessa forma.


#[testing]
#Include = /etc/pacman.d/mirrorlist

[core]
Include = /etc/pacman.d/mirrorlist

[extra]
Include = /etc/pacman.d/mirrorlist

#[community-testing]
#Include = /etc/pacman.d/mirrorlist

[community]
Include = /etc/pacman.d/mirrorlist

# If you want to run 32 bit applications on your x86_64 system,
# enable the multilib repositories as required here.

#[multilib-testing]
#Include = /etc/pacman.d/mirrorlist

#[multilib]
#Include = /etc/pacman.d/mirrorlist


Segurança de pacotes


Pacman suporta 4 assinaturas de pacotes, que adiciona um nível extra de segurança para os pacotes. A configuração padrão,

SigLevel = Required DatabaseOptional




Habilita a verificação de assinaturas para todos os pacotes em um nível global: este pode ser substituído por linhas por repositório SigLevel, como mostrado acima. Para mais detalhes sobre pacote de assinatura e verificação de assinatura, dê uma olhada em pacman-key.

Atualizar a lista de pacotes


Com o repositório configurado, você deve atualizar a lista de pacotes disponíveis em seus repositório.

Para isso use o comando abaixo.

pacman -Sy



Instalando Programas




Para instalar programas você deve usar o pacman seguido do -S como nos exemplos abaixo.

Você pode instalar um único pacote

pacman -S nome_do_programa

Exemplo o pinta


pacman -S pinta




Confirme a instalação teclando s seguido de enter.

Você pode instalar vário  pacotes ao mesmo tempo, basta separar os nomes dos programas com um espaço.

pacman -S nome_do_programa nome_do_programa nome_do_programa

Exemplo pinta e openshot

pacman -S pinta openshot


Confirme a instalação teclando s seguido de enter.

Você também pode especificar de qual repositório o programa sera baixado, nesse caso você deve avisar o pacman da sua escolha, especificando o repositório seguido de uma / e o nome do programa, como no exemplo abaixo.

community/nome_do_programa

pacman -S community/nome_do_programa
Exemplo pinta

pacman community/pinta



Confirme a instalação teclando s seguido de enter.


Procurar Programas


Você também pode procurar um programa antes da instalação, vamos supor que você já tentou instalar um programa com o mesmo nome de outra distribuição e deu pacote não encontrado.

Um bom exemplo disso é o network-manager

Para pesquisar use o pacman seguido do -Ss

Pesquise por network-manager e networkmanager

pacman -Ss network-manager


pacman -Ss networkmanager

Essa é uma ótima maneira de explorar e conhecer o seu repositório de pacotes.




 Remover programas


Para remover um programa você tem duas opções, remover apenas o programa ou o programa e suas dependências que não são mais usadas no sistema.

Removendo apenas o programa.


pacman -R pinta


Veja na imagem que apenas o pinta sera removido.




Removendo o programa e suas dependências que não são mais usadas no sistema.

pacman -Rs pinta

Veja na imagem que o pinta e todos os pacotes instalados com ele serão removidos.




Atualizando o sistema


A atualização do sistema é a parte mais importante, com ela você resolve problemas como:

Correção de bugs dos programas

Funcionalidades novas

Falhas de segurança


Em um sistema rolling release como o Arch Linux fazer atualizações periódicas é importante pelos itens citados e para que você não tenha que fazer uma atualização muito grande e correr o risco de comprometer o sistema em um upgrade mal sucedido.

Para atualizar o seu sistema use o comando abaixo.

pacman -Syu

Nesse exemplo essa instalação está a um mês sem ser atualizada.



Um erro comum no arch ao fazer um upgrade.

erro: falha em submeter a transação (arquivos conflitantes)
ca-certificates-utils: /etc/ssl/certs/ca-certificates.crt existe no sistema de arquivos



Para resolver é bem simples, remova o arquivo conflitante com o comando abaixo.

rm /etc/ssl/certs/ca-certificates.crt

Feito isso atualize o seu sistema com o comando abaixo.

pacman -Su

Erro resolvido.



Sistema atualizado.




Nessa matéria abordei o essencial do pacman, mas ele vai bem mais além e é altamente recomendável que estude a sua documentação para obter o máximo do seu gerenciador de pacotes.

Para isso basta dar o comando abaixo em seu terminal.

man pacman





Uma dica.

A distribuição é o seu repositório, os sistemas operacionais GNU/Linux tem o apelido de "Distribuição" por distribuírem, levarem até você pacotes e isso é feito por meio do repositório ( erroneamente também as REMASTERIZAÇÕES são chamadas de DISTRIBUIÇÕES por distribuírem pacotes por meio de uma .iso estilo o Windows da Microsoft, uma caixinha de surpresas e que podem não ser muito agradáveis ), lembre sempre o seu sistema operacional é o seu repositório, se você mistura repositórios ( fontes de pacotes ) de terceiros ( AUR, Git e afins ) você não está mais usando a distribuição que imagina, mas sim uma salada de distribuição de pacotes, você está com isso colocando em risco a segurança e integridade do seu sistema operacional, faça por total conta e risco.

Donate - Contribua para a melhoria do nosso trabalho!!

















Nenhum comentário:

Postar um comentário