Menu

sábado, 25 de agosto de 2018

Instalação do openSUSE Leap 15.0 no VirtualBox

O openSUSE é a distribuição GNU/Linux mais amigável ao usuário iniciante, conheça um pouco dessa ótima distribuição e veja como a instalar no VirtualBox para a conhecer melhor e depois se quiser instalar em seu computador.









openSUSE


openSUSE é um sistema operacional baseado no núcleo Linux, desenvolvido pela comunidade openSUSE de forma gratuita.







Após adquirir o SUSE Linux em janeiro de 2004, a Novell, uma empresa norte-americana que na década de 1980 ficou famosa por seu sistema operacional de rede (Netware), após o sucesso lançou o SUSE Linux Professional como um projeto 100% código livre, envolvendo a comunidade no processo de desenvolvimento.

A versão inicial foi uma versão de teste do SUSE Linux 10.0. A sua versão estável corrente é o openSUSE Leap 15.0.

O openSUSE é dirigido pela comunidade openSUSE Project e patrocinada pela Novell, para desenvolver e manter os componentes do SUSE Linux distribuições.

Depois da aquisição do SUSE Linux, a Novell decidiu fazer da comunidade uma importante parte do processo de desenvolvimento.

Além da distribuição, o Projeto openSUSE provê um portal web para o envolvimento da comunidade. A comunidade colabora com o openSUSE em desenvolvimento com representantes da Novell contribuindo com códigos através do openSUSE Build Service, escrevendo documentação, desenhando artes gráficas, criando discussões abertas em mailing lists e canais Internet Relay Chats (irc), assim como aprimorando o openSUSE através de wikis.

Como a maioria das distribuições Linux, o openSUSE inclui ambas Ambiente gráfico (padrão) e um poderoso Interpretador de comandos (opcional). Durante instalação, o usuário pode escolher dentre vários Ambiente gráficos e com focos diferentes: KDE (padrão), GNOME, LXDE e Xfce.


História


No passado, a companhia SUSE Linux tinha focado em um lançamento conjunto do “SUSE Linux Personal” e “SUSE Linux Professional”, incluindo extensiva documentação impressa que esteve disponível para vendas nas Lojas. A habilidade da companhia de vender um produto de código livre era larga devido ao processo de desenvolvimento usado em código fechado. Embora o SUSE Linux tivesse sempre sido um produto de código livre com licença GPL, somente era possível analisar livremente o código-fonte do próximo lançamento, 2 meses depois de lançado. A estratégia do SUSE Linux foi criar uma distribuição Linux tecnicamente superior com um grande numero de engenheiros empregados, que poderia fazer que usuários paguem pela distribuição em Lojas.

Desde a aquisição pela Novell em 2003 e com o advento do openSUSE isso estava sendo revertido: começando com a versão 9.2, 1 DVD não-suportado Imagem ISO do SUSE Professional esteve disponível para download também um Live DVD bootável. O servidor FTP continua a operar e tem a vantagem de instalação online: Apenas baixando pacotes que o usuário necessitava. O ISO tinha a vantagem de fácil instalação de pacotes, e a habilidade de operar mesmo se a conexão de rede do usuário não estiver Out-of-Box (pronta para usar), assim menos experiência era necessária.

O inicial lançamento estável pela openSUSE Project, SUSE Linux 10.0, esteve disponível para download apenas após da versão comercial SUSE Linux 10.0. em adição, a Novell termina a “Personal Version”, renomeando a versão “Professional” para simplesmente “SUSE Linux”, e remarcando o preço o “SUSE Linux” para quase o mesmo da até então antiga versão “Personal Version”. Com a versão 10.2, a distribuição SUSE Linux foi oficialmente renomeada para openSUSE.

Ao longo dos anos, o SUSE Linux foi uma distribuição com status que incluía software proprietário, com restritivas publicações atrasadas(2 meses de espera para aqueles que não compraram o produto sem ISO disponíveis, mas instalação disponível via FTP) e desenvolvimento fechado para um modelo livre de distribuição para todos de transparência e desenvolvimento aberto. Sua popularidade continua a crescer: como em maio de 2010, por exemplo, as estatísticas de downloads mostra mais que 2 milhões instalações únicas apenas do openSUSE 11.1 e 11.2,  com números altos na Alemanha (28%) e Estados Unidos (14%).




Fonte


Download


O openSUSE tem sua .iso distribuída em duas versões.

Imagem de DVD (3.6GB)

Contém uma grande coleção de softwares para o uso em áreas de trabalho ou servidores. Adequado para instalação ou atualização.

Imagem via rede (120MB)


Baixa o sistema de instalação e todos os pacotes dos repositórios online. Adequado para instalação ou atualização de versão.

Para fazer o download entre no link abaixo.

Download openSUSE


Instalação


O instalador do openSUSE tem varias opções interessantes, na primeira tela temos a Instalação e caso só queira atualizar o sistema já instalado, pode usar a opção "Upgrade".







Em "More ..." temos mais 4 ferramentas:

Recuperação do sistema - Para entrar no modo texto e resolver problemas do seu sistema operacional que não inicia o modo gráfico.

Boot Linux System - Para o caso de precisar iniciar uma outra instalação com problemas no boot.

Check installation media - Para verificar a integridade da .iso gravada que ira usar para a instalação do sistema.

Memory Test - Para verificar se a sua memória ram está com problemas.





Mas aqui iremos usar a opção "Installation" para instalar o openSUSE no VirtualBox.




Selecione a linguagem e o teclado.




Selecione o ambiente gráfico que deseja instalar, KDE Plasma ou Gnome.




Caso queira mais opções selecione "Personalizado".






Como aqui se trata de uma instalação em Vm, apenas confira o particionamento padrão e de sequencia.




Selecione a sua localização.




Configure seu usuário e senha.




Confira o resumo da instalação que sera feita.




É só aguardar ...






A instalação levou 30 minutos, vale lembrar que openSUSE faz de fato uma instalação dos pacotes do sistema, diferente de Ubuntu e suas refisefuquis que fazem uma cópia de um backup de um sistema pronto.

Aqui temos uma instalação semelhante ao Debian netinst e Arch Linux.




Optei pelo KDE Plasma.




Consumo do hardware.




O super Yast, o grande diferencial do openSUSE, praticamente tudo no sistema pode ser feito por interface gráfica, openSUSE é a unica distribuição que terminal é opcional.






Donate - Contribua para a melhoria do nosso trabalho!!





















Nenhum comentário:

Postar um comentário